Sobre o Conteúdo do Blog

Blog de histórias reais e de ficção.
Um lugar para expor opiniões que provoquem dor ou delícia!
Qualquer semelhança com histórias ou comportamentos reais poderá ter sido mera coincidência. Ou não!



segunda-feira, 8 de abril de 2013

Aham, Daniela, senta lá !!!!!




Semana passada fui agredida,  via Facebook, de forma gratuita por uma moça que não conheço e nunca vi mais gorda, nem mais magra – até porque não tem foto no perfil.
A coisa foi tão sem noção, que fui obrigada a deletar todos os meus comentários e bloquear a fulana - que por benção divina, esqueci o nome – para não constranger ainda mais um amigo em comum.

Tudo começou, quando D. Daniela Mercury, resolveu assumir publicamente seu casamento gay. Quer dizer, tudo começou quando Sr. Marco Feliciano resolveu agredir verbal e publicamente as ditas “minorias”.
Depois da fala absurda do Sr Deputado, algumas celebridades e sub celebridades resolveram se manifestar. Alguns contra e outros a favor, claro. Tem gente de todo o tipo.

A cada manifestação uma multidão de pessoas também se manifestava, apoiando ou tripudiando a atitude.  E foi aí que me dei conta de que a liberdade de expressão só é aceita se aquilo que se exprime estiver de acordo com o que pensamos. Os contra o Marco Feliciano, acham que quem concorda com ele não pode se manifestar  mas  apoiam e compartilham os que também discordam e censuram o pastor.

Ora, porque endeusar Daniela por assumir ser gay e jogar pedras em Joelma – a bate cabelo – por concordar com a postura ridícula do Feliciano? Liberdade é liberdade e temos que respeitar  todas as opiniões, ou não? Na ânsia de um posicionamento, pessoas perdem a noção e publicam coisas do tipo: “ Joelma e Chimbinha são paraenses, ou seja, vieram daquela terrinha do capeta chamada Pará... se paraense já é uma porcaria, imaginem então juntar com crente, outra grande porcaria” . Isso não é igualmente preconceito? Não é igualmente nocivo? Não é igualmente inadmissível?

Foi  por opinar sobre a atitude da cantora baiana, que a mocinha nervosa do Facebook, praticamente comeu meu fígado, me ridicularizando, ironizando, desrespeitando minha posição.
Quer saber? Eu acho mesmo que Daniela foi oportunista. Acho sim, e tenho esse direito. Estou falando aqui sobre a atitude dela, não sobre o fato dela ser ou não homossexual. Até porque, não me interessa quem ela come. Aliás, questiono o quanto isso é relevante na música popular brasileira.

Ah !! dirão alguns, ela foi corajosa, ela será um apoio à comunidade gay. Reconheço que talvez seja a primeira vez que o Fantástico e o Jornal Hoje estejam dando cobertura a um fato dessa natureza e isso abre as possibilidades de discussão, mas acharia legítimo se a baiana realmente fosse gay e não estivesse gay. Daniela foi casada por 12 anos com um empresário – teve 02 filhos, depois, casou-se secretamente com o publicitário italiano com quem viveu 4 anos e adotou 3 meninas.  Foi inclusive apontada como pivô da separação do Chico com a Marieta e não porque estivesse interessada na Severo. O negócio foi com o Buarque mesmo.  Há 5 anos, a mídia falava sobre um suposto relacionamento dela com uma arquiteta  que vive em Nova York. Essa suposta saída do armário AGORA , em tempos de Feliciano, não me convence.

O apoio deveria vir de artistas como Ana Carolina, Maria Bethânia e Ney Matogrosso, que são sabidamente gays desde sempre. Eles sim devem  se manifestar contra as atitudes homofóbicas do Pastor. São pessoas esclarecidas, sérias, talentosas e competentes, que nunca usaram a sexualidade como bandeira para fazer sucesso.

Voltando a liberdade de expressão: 
Não concordo com o Feliciano – bem longe disso. Mas, devo admitir que um lado meu entende o direito dele de não concordar com casamento gay e até de ser racista. Inadmissível é que, com essa postura escancarada, ocupe a presidência da comissão dos direitos humanos. Em compensação, tenho outro lado – bem menos racional – que tem vontade de que um caminhão de lixo passe por cima dele, assim, sem querer, sabe?

Justificar aqui minha opinião não vem ao caso, até porque discursos como: “Tenho vários amigos gays” pra mim são inadmissíveis.  São equivalentes a declarações como: “Ele é preto de alma branca”.
Tenho amigos, e de verdade, não me interessa o que eles fazem entre 4 paredes, muito menos com quem. A única coisa que faz diferença é a forma como nos olhamos, nos tratamos e nos respeitamos mutuamente.

Fato: A moça sem rosto, jamais seria uma amiga. Gente boçal, incoerente e irônica não tem espaço na minha vida.

Para finalizar, convido você a uma reflexão: Será que não somos nós que estamos dando espaço demais para os boçais, compartilhando suas falas, vídeos e manifestações racistas e homofobicas ? 

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Degustando Hitchcock

Arquivo Pessoal - CRIS MACCARONE




O nome dela remete a comida: Cristine Macarrone.

Publicitária – estudamos juntas na Cásper Líbero nos idos dos 80 – resolveu, depois de anos como diretora de arte, estudar gastronomia.
Uniu os conhecimentos e foi dar aulas de marketing em gastronomia.
Fez mestrado em comunicação, e a linha de pesquisa foi “a comida como objeto de comunicação”. Por ser assunto bastante extenso, focou a pesquisa no cinema e percebendo que ainda assim enlouqueceria, fez um recorte na obra de Alfred Hitchcock.

Que sorte a nossa. A pesquisa que começou pelo filme Frenesi (1972) deu à Cris munição suficiente para criar o blog “Degustando Hitchcock”.




O blog, lançado em Janeiro desse ano, vai nos contar a história dos 52 filmes do diretor em 52 semanas. “... todos tem alguma referência alimentar com maior ou menor função narrativa.”, diz a autora.
Todas os pratos que aparecem em cena são pesquisados e preparados antes da publicação  “...Quanto o prato não é citado, eu tento identifica-lo pelo aspecto visual  levando em conta o local onde se passa a história. Hitch, nesse quesito, sempre foi coerente. Quando não tem um prato mas só um alimento, eu faço uma receita com aquele ingrediente. Por exemplo, no filme Jogo Sujo a personagem aparece comendo maçã. Só. Eu fiz crumble de maça que é uma receita da Inglaterra onde se passa a trama.”

Cris já tem planos para o segundo semestre: Sessões de cinema com filme como: Janela Indiscreta, Psicose e Os Pássaros, seguidas de jantar com os pratos referenciados pelo diretor.

O blog tem uma versão em espanhol - Saboreando a Hitchcock-, e a autora aceita convites para comandar bate-papos com degustação.

Seguem os dois links:

Português:

Espanhol:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...